//
you're reading...
Uncategorized

Todo o Brasil e o mundo contra Belo Monte- uma resposta a Norte Energia

No dia 1º de agosto, a Norte Energia, publicou em seu blog :

Carta aberta ao diretor do documentário “À Margem do Xingu- vozes não consideradas”

A entrevista concedida pelo diretor espanhol, Damia Puig, ao portal O Eco Amazônia, no dia 25 de julho de 2011, em virtude de seu documentário apresentado no Festival de Paulínia (SP), “À Margem do Xingu – Vozes Não Consideradas”, mostra uma visão parcial a respeito de temas brasileiros e em especial de assuntos que envolvem a soberania nacional.

É um erro disseminar a ideia de que há uma guerra não declarada entre regiões brasileiras, de que estados do Sul pretendem tirar proveito dos estados do Norte. Isso é irreal e talvez o diretor tenha se inspirado no sentimento separatista que permeia várias das regiões de seu país natal, em que se destaca a própria Catalunha. Bem a propósito, o Sr. Puig, declara-se catalão (e não, espanhol).

No Brasil, ainda que seja um país de dimensões continentais, não há disputas regionais e muito menos a visão de que estados do Norte são colonizados pelos do Sudeste ou de qualquer outra região. Não queira o Sr. Puig trazer seus sentimentos separatistas para o Brasil! Apenas para lembrar-lhe: a única colonização recebida no nosso país foi a europeia e, se há cicatrizes até hoje, estas foram resultado do processo predatório do colonizador que, chegando ao Norte do Brasil, oprimiu e escravizou os povos indígenas, a exemplo do que foi feito em toda a América.

Para deixar registrado, a fauna e a flora são, juntamente com o povo deste país, nossas maiores riqueza. Não é preciso que um cidadão do Velho Continente defina como se deve cuidar dessas riquezas e tampouco dos rios e florestas brasileiros. O respeito à pátria, livre e soberana, é a força que nos leva a respeitar as instituições democráticas e a agir de maneira correta e dentro da lei.

Também não é virtuoso que a tão propalada sétima arte seja usada para buscar dividir uma nação, ou seja, contrapor brasileiro contra brasileiro, Norte contra Sul. Isso faz pensar se tal não seria uma estratégia para enfraquecer o povo brasileiro a fim de que os antigos colonizadores voltem a usurpar o que é, por conquista, brasileiro. Registre-se, por oportuno, que sua película é nitidamente tendenciosa por não mostrar as vozes a favor. Será que isso desconstruiria o propósito inicial? Pior do que a visão parcial é o mote do trabalho, costurado em torno da imagem deturpada das pessoas que vivem na região Norte como “coitados”, “pobres”, “oprimidos”. Lamentável senhor Puig.

A equipe respondeu a carta:

Para: Norte Energia

De: Equipe do documentário “À Margem do Xingu – vozes não consideradas”

Assunto: Resposta a “Carta Aberta ao diretor Damià Puig”, publicada no blog da Eletro Norte em 01/08/2011

Cara Norte Energia,

O tempo das ações costuma ser diferente do das provocações. Por isso a delonga na resposta pública à carta que questiona as intenções do diretor Damià Puig com a produção e difusão do longa metragem premiado “À Margem do Xingu- vozes não consideradas”.  

No último sábado, 20 de agosto, 15 cidades brasileiras foram palco de Manifestações Contra Belo Monte. Gente de Belém, de Brasília, de Florianópolis, de Cuiabá, do Rio e de São Paulo, além de cearenses, paraibanos, amazonenses e mineiros, entre outros, se uniram para tornar público seu repúdio a construção da hidrelétrica. União é uma palavra/ação que emerge dessa causa. De Norte a Sul, sem distinção, o povo está unido para barrar Belo Monte e exigir que grandes obras desenvolvimentistas passem pela aprovação da população.

Porém, não são só os brasileiros que estão preocupados com o destino do Rio Xingu e de seu povo. A notícia do “Ato Mundial Contra Belo Monte” repercutiu em jornais europeus, como o italiano TuttoSport http://www.tuttosport.com/attualita/esteri/2011/08/21-140782/Brasile%3A+in+migliaia+protestano+per+diga e o espanhol La Vanguardia http://www.lavanguardia.com/internacional/20110820/54203028466/una-represa-amenaza-con-desplazar-a-50-000-indios-en-brasil.html#.TlA5OIc-Qu0.facebook . Além de noticiar os protestos para o resto do mundo, a mídia internacional está cobrindo Belo Monte realizando reportagens aprofundadas, como a publicada pelo El País, um dos mais influentes jornais em língua espanhola. http://www.elpais.com/articulo/reportajes/maquinas/desembarcan/selva/amazonica/elpepusocdmg/20110821elpdmgrep_5/Tes. Até a respeitada Reuters, agência internacional de notícias publicou uma vídeo reportagem  em seu site  http://www.reuters.com/video/2011/08/21/brazilians-protest-giant-amazon-dam?videoId=218524973&videoChannel=1

Séculos depois do colonialismo europeu, o que vemos hoje é um processo de globalização avançado. Os temas e a forma como são tratados não dizem mais respeito somente ao país onde acontecem. Os governos continuam soberanos, porém devem dar satisfações ao resto do mundo. A partir do momento em que vivemos no mesmo planeta e dependemos dele para nossa sobrevivência, todos têm direito de resguardá-lo. No caso em questão, há mais um agravante.  Como a construção de Belo Monte envolve violação de direitos humanos dos povos indígenas e porque fere tratados internacionais dos quais o Brasil é signatário, o mundo voltou sua atenção para cá. É precisamente por essas razões que vemos abaixo-assinados Contra Belo Monte correndo o mundo através da web e cidadãos globais se unindo em defesa da preservação da diversidade ambiental e étnica – mundialmente conhecidas – da Amazônia. No último sábado, enquanto os brasileiros protestavam, os franceses faziam o mesmo http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=5dsQ3MbnRn8#!

Uma rápida busca pelo tema no canal de vídeos Youtube produzirá resultados sobre manifestos, protestos e vídeos Contra Belo Monte nas mais diversas línguas.

A equipe do documentário é um exemplo claro desse multiculturalismo. Formada por quase 50 pessoas, das mais diversas nacionalidades (são brasileiros dos quatro cantos, espanhóis dos quatro cantos, franceses, belgas, ingleses e portugueses) que sem terem nenhum retorno financeiro, colocam seus talentos e habilidades em prol da divulgação da causa.

Somos gratos por termos conseguido despertar, com a exibição do documentário, o interesse de muita gente pelo tema. Recebemos constantemente mensagens como ”Quando o documentário vai ser mostrado na minha localidade? Será que poderíamos conseguir uma cópia para passar na nossa Universidade ?”

Agradecemos também que a Norte Energia, embora de forma hostil, tenha nos dirigido a atenção e aproveitamos para fazer um convite público.

Em breve haverá uma exibição em Altamira e outras pela região. Gostaríamos de convidar os dirigentes do consórcio Belo Monte e a equipe de comunicação para um debate. O público certamente sairá mais esclarecido, pois além de conhecer as vozes não consideradas, terá a chance de ouvir o que a empresa tem a dizer sobre o processo de implementação e os impactos gerados pela terceira maior hidrelétrica do mundo. Chamaremos a mídia nacional e internacional para que pessoas de todos os cantos possam ouvir as duas partes.  De nosso lado, participarão os personagens e os que se identificam com a causa- tal como está colocada no filme. A equipe já realizou o documentário e agora se preocupa apenas em difundi-lo. As vozes não são nossas, mas as do povo do Xingu.

Agradecemos mais uma vez a oportunidade,

Equipe do “À Margem do Xingu- vozes não consideradas” 

Discussion

4 thoughts on “Todo o Brasil e o mundo contra Belo Monte- uma resposta a Norte Energia

  1. Eu digo NÃO a Belo Monte! E todos temos o direito de nossas vozes sejam escutadas! Assim como o diretor do documentário, toda a equipe, os índios, todos!!!
    Independente de que país nascemos, temos o direito de saber sobre os impactos da construção desta usina, assim como dizer o que achamos disso.
    Se o diretor é catalão e não brasileiro? Não importa! Pois importa sim a preocupação com o mundo, que é de todos nós.

    Ótima proposta do debate! Se Eletro Norte não aceitar é pq sabe que não tem o que dizer. E se aceitar: ótimo, pois pessoas terão acesso aos dois lados e assim podem decidir o que acham e apoiam.

    Posted by Flavia | August 26, 2011, 13:52
  2. Incrivel!!!!!!!

    Norte e Energia!! Esperamos um belo debate, respeitoso e esclarecedor!!!!
    As partes devem se escutar!!!

    Abraços

    Posted by Rafael | August 26, 2011, 21:35
  3. Realmente as empresas ainda nos tratam como meros ‘obejtos de manipulação’. Nos tratam como se não conhecessemos nossos direitos. Tentam inverter os valores do que fazemos para criticar quando as ações delas são contra o bom senso e a GRATUIDADE da vida!!! As corporações e políticos associados às grandes ’empreitadas desenvolvimentistas’ insistem em nos tratar como se fossemos imbecis! esse tempo está acabando!
    Hoje em dia as informações correm soltas e as mobilizações cada vez ganham mais força em torno das causas que lutam por transparência, justiça, sustentabilidade e menos COISIFICAÇÃO DA VIDA!
    Não somos numeros, nem objetos e nem MASSA DE MANIPULAÇÃO… sim, vinhamos sendo tratados assim, como meros CONSUMIDORES… só que agora a informação nos mostra o quanto estávamos ERRADOS em relação ao planeta e a própria VIDA. Não somos COISAS… não vivemos num planeta que suportará nossos desmandos e GANÂNCIA!!! A vida pede CALMA, (como bem diz Lenine em uma canção), a vida pede SUSTENTABILIDADE REAL e não de FACHADA como fazem muitas empresas POLUIDORAS que se utilizam da palavra para desviar a atenção do público!
    Somos a maioria! Temos voz para criticar sim! Temos INTELIGÊNCIA para saber o que é CERTO e o que é ERRADO!!! Não somoas, repito, MASSA ACÉFALA para mero consumo! Chega de enxer o bolso de pessoas que não se importam com o que vai acontecer com que ainda NEM NASCEU!
    Parabéns à produção e equipe do filme! Parabéns, muita paz, serenidade e fortaleza nas ações de quem se preocupa com a VIDA e quer MUDANÇAS nas escolhas e tomadas de decisão do que será feito com a NATUREZA e as outras formas de vida que habitam esse planeta.
    Não somos COISAS!!!
    O capitalismo precisa mudar RADICALMENTE!
    Nós precisamos mudar radicalmente de HABITOS CULTURAIS antes que seja tarde demais!!!
    DINHEIRO é só uma idéia. Idéias podem ser MUDADAS!!!

    Abraços, paz e amor à gtod@s!!!

    Posted by Cabeto Rocker Pascolato | August 27, 2011, 15:57
  4. É lamentável o tanto que nossos governantes e os poderes privados deste país insistam em manter-se fora da atualidade, deste momento que urge por diálogos e buscas que beneficiem a vida de todos. Outro dia, em uma palestra, uma senhora convidada a expor sobre questões de energia teve a irresponsabilidade de declarar, com arrogância: “a Alemanha decidiu dispensar a energia nuclear; eu não sei o que vão fazer.”
    Meu marido, um bom alemão, foi buscar a resposta e ela é digna do momento contemporâneo: até 2020, todas as usinas nucleares deverão ser desativadas. Sem receio, eles declaram que não têm todas as respostas para a solução do problema, mas esta busca é o que traz crescimento: 50% da energia do país deverá vir de fontes alternativas; os outros 50% serão pesquisados e valiados, mas certo é que precisaremos buscar e aprender.
    E nós, por aqui, o que faremos com o conformismo retrógrado dos donos da nação? O que faremos com esta idéia de que crescimento é pura questão de cifras? A senhora Dilma acaba de declarar repúdio à violência das mortes do 11 de setembro. Não seria o caso de reivindicarmos o mesmo repúdio pelos genocídios em território nacional?

    Posted by daggi dornelles | September 13, 2011, 01:27

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: